SP: (11) 3089-4746 MG: (31) 3481-8119 Email: contato@asisprojetos.com.br

Governo eleva preço do café no país

Os preços mínimos do café terão aumento de 0,43% e de 15,31%, respectivamente, a partir de 1º de abril, informou nesta quarta-feira, 4, o Ministério da Agricultura.

O preço mínimo é um parâmetro que o governo usa como gatilho para definir quando é necessário ajudar na comercialização do produto. Se um alimento está abaixo deste valor mínimo, a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) entra em cena para garantir uma remuneração melhor para o agricultor.

Segundo o Ministério da Agricultura, o reajuste deste ano foi baseado na variação do custo de manutenção da lavoura, incluindo insumos, mão de obra e colheita.

A mudança ocorre antes do início da colheita da nova safra no país, que deve ser recorde, segundo analistas, o que poderia resultar em reduções nas cotações do mercado a patamares que disparariam o apoio governamental.

O reajuste integra “a política de sustentação de preço, garante as condições de apoio de preços que garanta ao produtor a sua permanência na atividade, em caso de crise de preço no mercado”, disse o diretor de Comercialização e Abastecimento da Secretaria de Política Agrícola do ministério, Sílvio Farnese.

A medida foi publicada nesta quarta-feira, no Diário Oficial da União, depois de aprovada pelo Conselho Monetário Nacional.

Confira os preços mínimos

O preço mínimo do arábica subiu de R$ 362,53 por saca de 60 kg para R$ 364,09, referente ao café tipo 6, bebida dura para melhor, com até 86 defeitos, peneira 13 acima, admitido até 10% de vazamento e teor de umidade de até 12,5%.

Para os demais estados produtores de café conilon (robusta), exceto Rondônia, o preço foi de R$ 210,13 para R$ 242,31 por saca, para o café tipo 7, com até 150 defeitos, peneira 13 acima e teor de umidade de até 12,5%.

Para Rondônia, o valor foi mantido em 210,13 reais por saca, em meio a ganhos recentes de produtividade no estado do Norte

Fonte: Fonte Portal Contábeis via G1

  Voltar ao Blog

Deixe seu comentário

SPED News | Todos os direitos reservados.