SP: (11) 4810-2631 MG: (31) 3481-8119 Email: contato@asisprojetos.com.br

ICMS/ RS: Regulamento do ICMS é alterado para dispor sobre substituição tributária

INSTRUÇÃO NORMATIVA 27 RE, DE 2019
(DO-RS DE 24-6-2019)

LEGISLAÇÃO TRIBUTÁRIA – Alteração

Regulamento do ICMS é alterado para dispor sobre substituição tributária

O SUBSECRETÁRIO DA RECEITA ESTADUAL, no uso de atribuição que lhe confere o artigo 6º, VI, da Lei Complementar nº 13.452, de 26/04/10, introduz as seguintes alterações na Instrução Normativa DRP nº 45/98, de 26/10/98 (DOE 30/10/98):
1. No Capítulo IX do Título I:
a) ficam acrescentados os subitens 19.2.1.1.4.1 e 19.2.3.1.4.1 com a seguinte redação:
“19.2.1.1.4.1 – Os contribuintes que apresentam o registro 1300 e registros filhos, poderão adjudicar o valor do estoque inventariado em parcela única em relação às operações com combustíveis derivados de petróleo, informando um registro 1921, com o código RS021920 no campo COD_AJ_APUR, a descrição “1/1″ no campo DESCR_COMPL_AJ e o valor total apurado nos termos do subitem 19.2.1.1.3 no campo VL_AJ_APUR.”
“19.2.3.1.4.1 – Nas operações com combustíveis derivados de petróleo, na hipótese em que a adjudicação do valor do estoque inventariado tenha sido feita em parcela única, conforme previsto no subitem 19.2.1.1.4.1, o estorno será feito em parcela única, informando um registro 1921, com o código RS011922 no campo COD_AJ_APUR, a descrição “1/1″no campo DESCR_COMPL_AJ e o valor total apurado nos termos do subitem 19.2.3.1.3 no campo VL_AJ_APUR.”
b) na alínea “b” do subitem 19.2.2, fica acrescentado o número 3 com a seguinte redação:
“3 – na hipótese de saída documentada por Nota Fiscal Eletrônica, modelo 55, ou Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica, modelo 65, de emissão do próprio informante da EFD, em substituição a um registro 1923 para cada item, poderá ser informado um registro 1923 para cada documento fiscal, sem a informação do campo COD_ITEM.”
c) o subitem 19.4.1 passa a vigorar com a seguinte redação:
“19.4.1 – Ao final de cada período de apuração, o contribuinte informará na EFD:
a) o valor a complementar apurado, que será deduzido da subapuração informada em registro 1920, através de ajuste via registro 1921, que deverá citar o código RS041921 no campo COD_AJ_APUR, para a transferência do valor à apuração da substituição tributária, através de ajuste em registro E220, que deverá citar o código RS101921 no campo COD_AJ_APUR;
b) o valor a restituir apurado, que será estornado da subapuração informada em registro 1920, através de ajuste via registro 1921, que deverá citar o código RS011921 no campo COD_AJ_APUR, para a transferência do valor à apuração da substituição tributária, através de ajuste em registro E220, que deverá citar o código RS121921 no campo COD_AJ_APUR.
19.4.1.1 – Na hipótese de compensação do valor a complementar, registrado na apuração da substituição tributária conforme subitem 19.4.1, “a”, com saldo credor do imposto próprio, deverá ser realizado ajuste via registro E111, que deverá citar o código RS011513 no campo COD_AJ_APUR, para a dedução da apuração do imposto próprio, e via registro E220, que deverá citar o código RS122702 no campo COD_AJ_APUR, para a inclusão na apuração do imposto de substituição tributária, limitado ao valor do complemento apurado, ou ao saldo credor do imposto próprio, se inferior ao valor do complemento apurado.
19.4.1.2 – Na hipótese de compensação do valor a restituir, registrado na apuração da substituição tributária conforme subitem 19.4.1, “b”, com saldo devedor do imposto próprio, deverá ser realizado ajuste via registro E220, que deverá citar o código RS112705 no campo COD_AJ_APUR, para a dedução da apuração do imposto de substituição tributária, e via registro E111, que deverá citar o código RS021406 no campo COD_AJ_APUR, para a inclusão na apuração do imposto próprio.”
d) fica acrescentado o subitem 19.5.1 com a seguinte redação:
“19.5.1 – Ao final de cada período de apuração, o contribuinte lançará na GIA:
a) o valor a complementar, conforme subitem 19.4.1, “a”, que será registrado no campo 05 (Outros Débitos) do Anexo VII;
) o valor a restituir, conforme subitem 19.4.1, “b”, que será registrado no campo 02 (Outros Créditos) do Anexo VII.
19.5.1.1 – Na hipótese de compensação do valor a complementar com saldo credor do imposto róprio, conforme subitem 19.4.1.1, deverá ser realizado lançamento no código 13 (Utilização de crédito fiscal próprio para compensação com valor a complementar do Ajuste do imposto retido por substituição tributária) do Anexo XV, para a dedução da apuração do imposto próprio, e lançamento no campo 02 (Outros Créditos) do Anexo VII, para a inclusão na apuração do imposto de substituição tributária.
19.5.1.2 – Na hipótese de compensação do valor a restituir com saldo devedor do imposto próprio, conforme subitem 19.4.1.2, deverá ser realizado lançamento no campo 05 (Outros Débitos) do Anexo VII, para a dedução da apuração do imposto de substituição tributária, e lançamento no código 06 (Utilização de valor a restituir do Ajuste do imposto retido por substituição tributária para compensação com débito fiscal próprio) do Anexo XIV, para a inclusão na apuração do imposto próprio.”
2. No Apêndice VII:
a) na Seção II, é dada nova redação ao “Dispositivo Legal” dos seguintes códigos, conforme segue:

3. No Capítulo XI do Título I, o subitem 20.12.1 passa a vigorar com a seguinte redação:
“20.12.1 – O contribuinte substituído, na operação que realizar com mercadoria recebida com
imposto retido, deverá emitir NF-e ou NFC-e nos termos do RICMS, Livro III, art. 28, I, utilizando o CST 60, no caso de contribuinte enquadrado na categoria geral, ou o CSOSN 500, no caso de contribuinte enquadrado no Simples Nacional, contendo obrigatoriamente o preenchimento dos seguintes campos, conforme disposto no Manual de Orientação do Contribuinte NF-e e nas Notas Técnicas da NF-e:a) vBCSTRet, pST, vICMSSubstituto e vICMSSTRet, na hipótese de operações não destinadas a consumidor final;
b) pRedBCEfet, vBCEfet, pICMSEfet e vICMSEfet, na hipótese de operações destinadas a consumidor final.”
4. Esta Instrução Normativa entra em vigor na data de sua publicação, produzindo efeitos, quanto à alínea “a” do número 1, a partir do período de apuração de março de 2019, e, quanto às alíneas “b” a “d” do número 1 e ao número 2, a partir do período de apuração de maio de 2019.

RICARDO NEVES PEREIRA,
Subsecretário da Receita Estadual.
  Voltar ao Blog

Deixe seu comentário

SPED News | Todos os direitos reservados.